Páginas

Vistas e revistas



Aqui no cantinho da biblioteca descartável onde as revistas nunca se vendem, apenas se consultam, se desfolham, se retorcem nas pontas das páginas e se enchem de saliva pelos dedos dos leitores de supermercado, chegam mais dois ensalivadores para um "revistar" contente de hora de almoço.
Aproximam-se decididos. Penso que o alvo são os carros desportivos ou na melhor das hipoteses a última edição de uma revista de gajo, com menina encalorada na capa. Mas não. A mãozinha decidida de um dos leitores pára na ponta da prateleira mesmo ali ao lado da imprensa colorida e do ponto cruz. Cor de rosa? uma revista cor de rosa nas mãos de um gajo, ou quase dois. Porque ao abrir, o outro segurou também não fosse o peso ser demasiado para o primeiro:
- Vês vês? Como a gaja sempre casou com ele?
- Então mas eu disse-te, pá.
- Porra mas o gajo é feio...com uma gaja destas...
- Mas deve ter guito...o que é que estás à espera.
Mais umas folhas, e mais um molhar de dedinhos, e mais fotos adiante:
- É pá esta Luciana ficou com umas mamas... olha-me pra isto (assobio).
Comenta o primeiro enquanto afasta a revista até ao limite dos braçinhos para a contemplação total.
- E morena ainda fica mais tesuda. O Ronaldo é que já lhe deve ter marcado uns golos valentes.
- És parvo pá, o Ronaldo não quer nada com a gaja.
- A mãe dele é que a queria para nora.
- Olha a festa do maricon...
- Paneleirote mas é só gajas boas olha lá. Tudo transparente, o que ela precisa sei eu.
- Foi esta que casou com o tal gajo que era médico.
- Não casou nada ...viveram juntos mas pouco tempo, agora está com aquele gajo das novelas. A mulher dele era aquela...que escreve.
E num virar de página virei de corredor.
Sempre achei que este tipo de comentários eram próprio mais delas, acompanhados do cruzar braçinhos com o obrigatório segurar do queixo na palma da mão deixando a boca entre o mindinho e o anelar...mas vi que não.
Será que andei alheio às tendências literárias mais recentes?
Então mas eles já não lêm a plaboy? Só vêm os programas da Julia Pinheiro e da Fátima Lopes? Será que regam os almoços com a Maya e os comentários do Goucha?
Será que estou a entrar na andropausa intelectual e não dei por isso? Passo pelo corredor do pronto a vestir e olho-me bem ao espelho...ao perto, ao longe e ao meio. Já se notam cabelos brancos...monteeeeeeeeees deles, as rugas começam a medrar... é o príncipio do fim...amanhã vou ao médico pedir um exame á próstata. E por via das dúvidas vou comprar a Playboy e a Penthouse e aderir aos canais X por cabo e satélite e já agora tornar-me sócio de um videoclube.
As compras não me estão a correr nada bem hoje. Será que haverá por aqui chá de cidreira?

1 comentários:

Paula disse...

ahahahah... Não resisti a comentar. Um texto cheio de humor!
Realmente a literatura cor-de-rosa, dá-me arrepios de revolta. É apenas mais um sedativo para as pessoas esquecerem os seus próprios problemas! Também não me apercebi que os meninos gostavam desse tipo de leituras/imagens!
Quanto aos cabelos brancos e às rugas, nunca foram impedimento para se desfrutar a vida em pleno!

Abraço