Páginas

Desinquietante



Descobri hoje que tenho outro heterónimo. Este, acordou-me a meio da noite... beliscou-me tanto e com tanta violência, que acordei com o ombro direito assimétrico do outro. Disse-me que se assumia como heterónimo de personalidade própria e contou-me da sua soberania sobre mim, em sonhos ou acordado. Contou-me ter a "Chave Dimensional", mas para nunca me convencer que de alguma forma o conseguiria mudar. Teria que aceitar como verdade irracional e só desta forma, banalizando a utópica  e redutora premissa das quatro verdades. Para ele, a filosofia, epistemologia,lógica e a metafísica são apenas uma percepção básica das impressões sensoriais. Pensei na hipótese da loucura a invadir-me, mas tranquilizou-me com um afago no ombro esquerdo apesar de ter preferido no outro, barbaramente beliscado. Quis provar-me que se escolhe heterónimo onde quer e assumir qualquer forma. Uma delas a mão que segurava o pé esquerdo no "Sonho Causado Pelo Voo de uma Abelha ao Redor de Uma Romã um Segundo Antes de Acordar" e que Dali, que era sonâmbulo, conseguiu contrariar. Por isso no esboço inicial a mulher tem a perna esquerda esticada e a mão aparece  a tocá-la. 
Perguntou-me se era sonâmbulo e decidiu ficar.
A semana começa bem...e o meu ombro sem vestígios visíveis de beliscos...mas ainda dorido ao segundo acordar. 
Temo o pior...

4 comentários:

Ana disse...

Escreve muito bem!!!!! Gostei imenso deste texto!!!!! Obrigada por partilhar!!!!:-)))

Anónimo disse...

...quem não tem heterónimos???...quem não sente fortemente, diria!!!Heterónimos,dupla,tripla...personalidade...somos um eu com muitos eus.
Todos verdadeiros??,todos falsos???...em mim, todos verdadeiros!!! Uma luta constante entre todos eles,entre mim, prevalece aquele que é socialmente correcto,(tretas)aquele que menos agita correntes, é que navegar contra corrente,corre-se risco de afogamento em nós próprios.
Já naufraguei,mas, após várias inspirações, sopros de coragem,renasci e fiz-me ao mar...
Sempre que me apetece despojo-me dos trajes do "correcto" e sou o eu menos correcto, aquele que apregoa injustiças,vive sonhos, cria asas...
Sinto que me sentem "louca", gozo, brinco, baralho-os, afinal só eu sou dona da minha cabeça, do meu coração, do meu sentir, de mim...
Pensem!!!! Sinal de que existem, mas duma forma pouco sentida, nem me merecem pena, merecem-me a esperança de que um dia ousem ser eles, em todas as vertentes do seu ser, e...perceberão finalmente que de artistas e loucos todos temos um pouco!!!!...inventem-se em cada dia, amem e deixem fluir os eus da existência, nesta inexistência em que, muitas vezes,nos sentimos e só assim existirão!!!! Vivo assim e os momentos de felicidade multiplicam-se em cada dia passado...

Helena disse...

...desinquietante é esta sensação tatuada na minha pele...da marca que deixas cada vez que me tocas...


India "newmoon"

luz efemera disse...

Desinquietemos as almas famintas para elevar os egos, num mundo de enganos.

Um texto muito desinquietante!